2019. Organização não Governamental

Anjos Protetores

Siga nossas redes sociais:
CNPJ: 21.228.834/0001-29
Conta Oficial: Banco do Brasil
Agência: 3851-2
Conta: 36.341-3

Por que damos pausas nos resgates?

Existe um ciclo de resgate, sempre que um animal é recolhido ele vai custar: Dinheiro e espaço. Quando o recolhemos, ele precisa de um lar temporário pois nenhum deles vai direto para o abrigo sem antes ser tratado e descartar a possibilidade de qualquer tipo de contágio.


No veterinário ele gera um custo com consultas, exames, internação e medicamentos, esse custo é pago com doações, as clínicas permitem que paguemos depois, mas imagine que 3 animais geram uma dívida de R$3.000,00, nós temos que coletar doações para pagar essa dívida e automaticamente precisamos parar os resgates para não nos endividarmos ainda mais. Quanto mais doente e debilitado o animal estiver, mais cara fica a conta. Por isso recomendamos sempre estar em dia com a saúde do seu pet.

Recebemos poucas doações, quanto mais tempo levamos para arrecadar o valor, mais tempo ficamos sem fazer resgates. Fora as clínicas gastamos com remédios, energia, limpeza, ração, manutenção e ainda temos a obra do abrigo que está parada. Temos uma população de mais de 500 mil habitantes e conseguimos arrecadar menos de R$ 2.000,00 por mês, salvo em ocasiões em que recebemos apoio de grupos de arrecadação que envolve empresas e/ou instituições de ensino.

Por que não recebemos animais?

 

A lei diz que cada pessoa é responsável pelos animais sob sua tutela. E essa pessoa é obrigada a manter esse animal cuidado e em condições de vivência saudável.


Existem aquelas pessoas que ignoram isso e abandonam seus animais, ou os maltratam e tornam suas vidas infelizes e difíceis. Esses animais abandonados estão passando fome, frio e sentindo dor nas ruas, com feridas, doenças e ainda acabam apanhando ou sendo atropelados. Nós trabalhamos com estes, que não podem falar para pedir ajuda, nós os resgatamos e lutamos arduamente para que a população se conscientize das suas responsabilidades. É um trabalho difícil e interminável.

Não estaríamos sendo justos se tirássemos a chance de viver, de se alimentar e de se curar desses animais que estão ao relento, para dar a vaga dele no abrigo aos 6 filhotes que a cadela de algum dono teve porque o mesmo não quis castrar e permitiu que ela vivesse na rua. Ou para aquele cão idoso que alguém se cansou de cuidar. Todas as vidas sob a tutela de um dono são responsabilidade do mesmo, quando alguém reproduz seus animais, é seu dever arrumar um novo dono para cada um deles e dar a assistência necessária, pois foi uma escolha do responsável não castrar, não vacinar, não vermifugar, não dar remédio para carrapatos, etc.

 

Sabemos que nem todo momento é possível ter dinheiro e que emergências acontecem. Afinal, trabalhamos tratando animais sem dinheiro desde 2014. Existem alternativas: vaquinhas, brechós, rifas, etc. Não conseguimos nada gratuitamente, nem mesmo atendimento veterinário. E apesar de tudo nossas redes sociais são abertas para divulgarmos os animais que você quiser doar, nós ajudamos fazendo anúncios sem cobrar nenhum valor por isso, também temos uma equipe pronta para atender e sanar toda e qualquer dúvida sobre criação de animais e adoção responsável, pois entendemos que nem todos compreendem tudo.

Porque não divulgamos nosso endereço?

Nosso abrigo não é um local público, é uma construção privada e o tratamos como tal. Uma área onde só levamos os animais saudáveis e aptos para a vivência em grupo. Antes de ir para lá todos os resgatados ficam em lares temporários até terminarem seus tratamentos e não oferecerem riscos aos demais. Não é um local para receber visitas de outros animais ou fazer algum lazer.

A população local em sua grande maioria não respeita um abrigo. Muitas pessoas entendem nosso trabalho e nossa dor, mais a maioria esmagadora ainda crê que somos como um depósito de animais. E abandonam muitos filhotes e adultos doentes nas portas dos próprios voluntários, e já fizeram o mesmo no abrigo antigo.

Então o endereço é sigiloso para o bem estar de dezenas de animais que resgatamos e tratamos até hoje, e continuará desta forma, pois nós os amamos e jamais colocaríamos as vidas deles em risco. Tudo isso é para mantê-los em segurança, para evitar que sejam maltratados pelos mesmos humanos que tentaram tirar-lhes a vida envenenando, agredindo ou prendendo em correntes até seu último suspiro.

Como reconhecer e denunciar maus tratos?

Muitas vezes nos perguntam o que é de fato considerado maus tratos, e a lei possui diversas descrições, porém podemos resumir aqui uma linha de raciocínio para que se torne mais fácil identificar este crime.

- Privação dos direitos básicos à sobrevivência e uma vida saudável: Toda e qualquer situação em que o animal esteja privado de água, alimentação, espaço para se abrigar do sol e da chuva, espaço para andar, deitar, ficar de pé ou descansar, em superfície que o machuque.
.
- Violência: Atos como bater, amarrar, sufocar, envenenar, castigar e punir fisicamente, obrigar o animal a realizar atividades extenuantes e superiores à sua força.

- Abandono: Deixar de dar assistência veterinária ao animal sempre que necessário, abandoná-lo doente ou saudável à própria sorte, mesmo que seja em locais movimentados ou na frente de casas e instituições.

Como denunciar: Você pode realizar a denúncia pessoalmente em qualquer delegacia ou contatar a Delegacia do Meio Ambiente na sua cidade, em Macapá o atendimento é feito pelo número: (96) 98148-7378. Se possível reúna provas de dias e/ou horários diferentes, assim a denúncia terá maior credibilidade e reduzirá as chances de alguém alegar que o flagrante era apenas um caso isolado. Toda denúncia é anônima.

O que fazer se encontrar um animal em risco?

Se você estiver na rua e encontrar um animal debilitado, abandonado ou até mesmo assustado no meio de uma pista ou estrada, deve tentar seguir os seguintes passos:

- Se puder carregá-lo sozinho, coloque-o em lugar sem movimento de automóveis, protegido do sol e da chuva, tente oferecer água e/ou comida que esteja à mão para que ele possa se recuperar, nunca sabemos quanto tempo o animal está sem se alimentar.

- Se puder levar para casa, o faça assim que possível, é mais fácil conseguir ajuda financeira e com alimentação quando o animal já está em lar temporário sendo cuidado.
.
- Se não puder abrigar, contate amigos, parentes e conhecidos, para tentar achar alguém que possa dar um teto para ele, em seguida pode contatar ONGs e grupos de resgate para ajudar na arrecadação de recursos para o veterinário e cuidados do animal.

- Fotos e vídeos devem ser registrados com a intenção de conseguir ajuda, se você apenas fotografar e postar nas redes sociais sem se responsabilizar em manter o animal seguro até aparecer o resgate, as chances dele ser tirado das ruas é mínima pois animais migram de um lugar para outro e a localização se torna difícil.

 

- Sempre faça o possível para amenizar a dor daquele animal, se ele estiver enrolado em fios ou com sede e faminto, não custa nada tentar ajudar com as próprias mãos, você pode salvar uma vida.

Como funciona o lar temporário?

Que tal salvar uma vida e ter um hóspede cheio de amor? Esse é o objetivo do lar temporário, você disponibiliza um pequeno espaço na sua casa para recuperar a saúde de um animal, é uma espécie de enfermaria caseira, o pet é tratado com todo carinho e experimenta uma vida igual a de um animal adotado, e depois que melhora ele se torna apto para adoção responsável, tanto pela saúde quanto pelo costume de ter um lar e voltar a socializar com humanos.

Você pode escolher o animal que vai abrigar e também pode criar suas regras, como por exemplo só receber animais que não tenham doenças contagiosas, pro caso de já ter outros animais em casa e não colocá-los em risco. Imagine que muitos animais morrem nas ruas porque as ONGs estão lotadas e não podem resgatá-los, se um animal tiver um lar temporário para ser tratado, já ganha outra chance de viver, você só precisa ter disponibilidade para dar a devida atenção e um ambiente seguro

Alguns animais como gatos podem ser cuidados em lares temporários sem quintal, basta apenas ter uma residência sem rotas de fuga, com todas as janelas e saídas teladas. Muitas ONGs e grupos podem lhe ajudar a conseguir apoio financeiro, veterinário e com a alimentação do animal que esteja em lar temporário, para proteger uma vida não precisa muito, basta querer fazer a diferença.

O processo do trabalho voluntário.

Atualmente possuímos um sistema de triagem: Todos os candidatos a voluntariado entram em contato através de um formulário presente no link da bio da nossa conta no Instagram, ou aqui pelo site na aba "Como ajudar", lá coletaremos os dados necessários para realizar a entrevista e seleção.

Se aprovado, o mesmo entrará em um grupo de Whatsapp exclusivo para voluntários, receberá todas as orientações que precisar e deverá respeitar as regras impostas para o trabalho fluir saudável e com segurança. Possuímos uma política de apoio onde todos os voluntários devem tentar ajudar na limpeza e manutenção do abrigo no mínimo uma vez por mês, temos escalas e horários organizados, se a pessoa não tiver disponibilidade pode ajudar de outras formas como indo aos nossos eventos ajudar na organização, contribuindo com um valor monetário mensal, doando itens de higiene, limpeza, medicamentos, toalhas, lençóis, etc.

Também existem voluntários que nos ajudam com seu apoio comercial e profissional, alguns estudantes de direito, enfermagem, nutrição, jornalismo, informática e marketing nos ajudam na produção de conteúdo para redes sociais, outros que possuem empreendimentos nos ajudam com parcerias, doando produtos para serem vendidos por nós, doando um percentual das suas vendas e serviços, etc. Também podem ser lares temporários fixos da ONG, existem inúmeras formas de trabalhar o voluntariado, é extremamente barato doar um pouco do seu tempo ou conhecimento em prol da causa animal.

Como e o que doar para ONGs de animais?

Você pode ajudar a nós e a outras ONGs e protetores doando os seguintes itens:

- Material de limpeza: Sabão, desinfetante, água sanitária, sacos para lixo, esponja, escovinha, vassoura, rodo, baldes, luvas e botas higiênicas. etc.
- Remédios de manutenção: Medicamentos para carrapatos, pulgas, vermífugos de cão e gato, vitaminas, remédios para sarna, etc.
- Itens de higiene animal: Shampoos e sabonetes normais, para sarna, para pulgas e carrapatos, neutros, toalhas, coleiras e guias, etc
- Itens de curativo: Esparadrapo, gaze, atadura, rifocina, soro, água oxigenada, luvas descartáveis, etc.

 

Como doar: Entre em contato pelas nossas redes sociais ou deixe sua doação no nosso ponto de arrecadação do parceiro Focinhos Pet, localizado na Av. Antônio Coelho de Carvalho, 664 - A Centro, entre as ruas Odilardo Silva e Eliezer Levy.

Como fazer para doar animais?

Como já foi dito anteriormente, nós não recebemos animais que possuem donos, e os resgates seguem sempre o mesmo protocolo. Porém sempre ajudamos aqueles que possuem animais para doar, seja adulto ou filhote, e os passos são sempre os mesmos:


Você envia uma mensagem seja por Instagram ou Facebook, com os dados para contato e fotos em boa resolução do animal em questão, nós criamos o anúncio e publicamos para ajudar a encontrar um novo dono.

Se você navega nas nossas redes e não consegue diferenciar animais que estão sob nossa tutela, de animais de terceiros, basta olhar nas legendas, todo animal que divulgamos para outras pessoas possuem um texto adicional informando se tratar de um pedido de divulgação.

Quem pode ser um protetor da causa animal?

Absolutamente qualquer pessoa que possua o desejo de proteger animais.

As vezes pensamos que precisa ter uma fortuna, ter uma casa grande com quintal e estar nela 24h por dia, porém animais não demandam o impossível de nós humanos. Muitas pessoas abrem suas casas para abrigar animais em troca de uma pequena quantia em dinheiro para que possam alimentá-lo e mantê-lo saudável, e fazem isso até mesmo com mais de um animal, essa é a vida de protetores que precisam de apoio financeiro. Outras pessoas não possuem tempo algum e a casa já está lotada, mas ajudam financeiramente, conseguindo roupas cirúrgicas emprestadas, comedouros emprestados, desconto nas clínicas, etc.

E tem também aqueles que não tem nada, não tem casa própria, não tem dinheiro além do suficiente para sobreviver e trabalham de sol a sol. Na grande maioria das vezes esses são os que mais se doam para a causa, eles saem em todos os lugares pedindo ajuda para os animais, divulgam as ONGs, quando podem alimentam os animais que moram na sua rua ou até em frente ao seu local de trabalho. Existem pessoas que catam latinhas para custear castrações, que vendem produtos artesanais para alimentar animais abandonados, e muito mais.

Para ajudar basta ter um bom coração. Somos gratos por todos que se dispõem a nos apoiar e fazer a diferença.